Slippage: o que é, como funciona e como evitar em suas operações

Slippage
Início > Blog > Slippage: o que é, como funciona e como evitar em suas operações

No mundo do mercado financeiro, o slippage é inevitável. Mas o que é exatamente isso? Em tradução direta, se refere ao escorregamento de uma ordem, ou seja, quando é executada a um preço que é diferente do preço esperado.

Isto pode acontecer por várias razões, incluindo mercados voláteis, baixa liquidez e execução lenta.

Embora possa ser frustrante, é importante entender como funciona e como evitá-la. Com este conhecimento, você pode realmente usar o escorregamento do preço em seu benefício.

Por isso, neste artigo, discutiremos tudo o que você precisa saber sobre o slippage. Cobriremos o que é, como funciona, por que acontece, e como evitá-lo. Também lhe mostraremos como usa-lo em seu benefício. Aproveite!

O que é slippage?

A princípio, ocorre um slippage quando o preço executado é diferente do preço do no momento do envio. O slippage ocorre frequentemente durante os mercados de movimentação rápida, ou quando há falta de liquidez no mercado.

Também ocorre quando uma ordem grande é colocada, e não há oferta suficiente para atender a ordem pelo preço solicitado. Essa derrapagem pode ser positiva ou negativa.

  • Positiva: ocorre quando uma ordem é preenchida a um preço melhor do que o inicialmente solicitado. Ou seja, mais baixo na compra e mais alto na venda.
  • Negativa: ocorre quando uma ordem é preenchida a um preço pior. Ou seja, mais alto na compra e mais baixo na venda.

Embora não dê para evitar sempre, há certas coisas que podem minimizar os seus efeitos. E é exatamente isso que você verá em seguida. Acompanhe!

O que é spread?

Antes de detalharmos o slippage, é importante entender bem outro conceito, o spread. Isso porque, as pessoas costumam confundir ou misturá-los.

Spread é a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo. Em outras palavras, é o custo que você incorre para comprar ou vender um ativo.

Por exemplo, se uma ação estiver sendo negociada a R$ 10,00 por ação, você poderá comprá-la por R$ 9,90 e vendê-la por R$ 10,10. A diferença de R$ 0,20 seria o spread.

O spread varia de acordo com os ativos negociados e as condições do mercado.

Ativos mais negociados têm spreads menores. Ativos menos negociados, possuem spreads maiores.

Além disso, os spreads também podem variar durante períodos de baixa liquidez ou alta volatilidade do mercado.

Como o spread representa o custo para transacionar um ativo, ele impacta diretamente os lucros e perdas nas operações.

Por exemplo, se você comprar uma ação por R$ 10,00 e vendê-la logo em seguida por R$ 10,10, terá lucro de R$ 0,10.

Se você fizer exatamente a mesma operação mas pagando R$ 10,20 pelas ações (spread maior), sua perda será de R$ 0,10.

Dessa forma podemos ver que quanto menor for o spread melhor será para nossas operações.

Aliás, além do custo direto para transacionar um ativo (spread), existem outros custos que impactam nos lucros como corretagem e emolumentos.

Qual a diferença entre slippage e spread?

O slippage é o desvio do preço de execução de uma ordem em relação ao preço esperado. Já o spread é a diferença entre o preço de compra (bid) e o preço de venda (ask) de um ativo.

O slippage pode afetar negativamente os resultados de uma operação, pois o investidor poderá ter que arcar com um custo maior do que o previsto. Já o spread representa um custo fixo da operação, que é conhecido antes da execução da mesma.

Por exemplo, imagine que você quer comprar 10 ações da Petrobras à vista pelo preço de R$ 20,00.

Se houver um spread de 0,10 nesse ativo, isso significa que você precisará pagar R$ 20,10 por cada ação, totalizando R$ 201,00 na sua operação.

Agora imagine que após executar sua ordem, inesperadamente você perceba que as ações foram compradas pelo preço de R$ 20,05.

Nesse caso você sofreu um slippage positivo de 0,05. Esse valor será acrescido aos seus custos operacionais.

Como funciona o slippage? Por que ele ocorre?

Ocorre um slippage quando um pedido é preenchido a um preço diferente do preço esperado. Esta diferença pode ser positiva ou negativa, dependendo se o preço de preenchimento é maior ou menor do que o preço do pedido original.

Há várias razões pelas quais o deslize pode ocorrer. As razões mais comuns são alta volatilidade no mercado, baixa liquidez, execução lenta e notícias relevantes.

Volatilidade

Volatilidade refere-se a quanto os preços flutuam no mercado. Um mercado altamente volátil é aquele onde os preços podem se mover muito rapidamente, às vezes com pouca advertência. Isto pode dificultar a execução das negociações ao preço desejado, levando a um deslizamento.

Baixa liquidez

Liquidez refere-se a como é fácil comprar e vender ativos no mercado. Um mercado com baixa liquidez pode ter poucos compradores e vendedores, tornando assim, difícil encontrar alguém disposto a negociar ao preço desejado. Isto também pode levar ao escorregamento.

Execução lenta

A execução lenta pode acontecer por uma série de razões, incluindo problemas técnicos com a plataforma de negociação ou simplesmente um grande número de ordens sendo colocadas de uma só vez (o que pode sobrecarregar o sistema).

Quanto maior a demora na execução das ordens, maior a chance de slippage ocorrer. E, geralmente, de forma negativa.

Notícias relevantes

Notícias relevantes referem-se a qualquer informação que possa ter impacto sobre os preços dos ativos. Isto pode ser qualquer coisa, desde lançamentos de dados econômicos até grandes eventos políticos.

Se houver notícias relevantes enquanto uma negociação estiver sendo executada, é possível que os preços se movimentem antes que a negociação possa ser concluída, levando ao escorregamento.

Exemplos de slippage

Exemplo de slippage negativo

slippage negativo

O deslizamento pode ter um impacto significativo sobre os resultados financeiros de uma negociação. Aqui estão alguns exemplos para ilustrar como o escorregamento pode afetar um comércio:

Vamos assumir que você compra 100 ações da XYZ a $10 por ação. O custo total da negociação é de US$1.000 (100 x US$10). Suponha que o preço das ações cai imediatamente para $9,90 por ação e o investidor vende as ações.

No entanto, no momento da venda há um slippage e o preço executado é de $988 em vez de ser executado a $990.

Se a ordem fosse executado no preço o investidor teria perdido $10 ($1000-$990), mas com o slippage a perda foi de $12 ($1000-$988). Ou seja, o investidor perdeu $2 a mais do que deveria.

Exemplo de slippage positivo

ganhar dinheiro

Agora suponha que um investidor compra 100 ações da XYZ a $10 por ação e lançou uma ordem de venda quando o preço chegou em $10,10.

Neste caso, entretanto, suponha que o preço das ações subiu para $10,12 por ação após a compra.

O preço de venda normal seria de $1.010 (100 x $10,10) e o investidor teria um lucro de $10 na negociação. Mas, com o slippage a ordem é executada a $1.012 (100 x $10,12).

Nesse caso o lucro que seria de $10 ($1.010 – $1.000) passa a ser de $12 ($1.012 – $1.000). Neste caso, o slippage funcionou a favor do investidor.

Como o slippage se manifesta no book de ofertas?

Slippage no book de ofertas

No book de ofertas, o deslize se manifesta como uma diferença entre os preços aos quais compradores e vendedores estão dispostos a negociar.

Por exemplo, se o preço de compra de uma ação for $10 e o preço de venda for $10,05, há um spread de 5 centavos.

Se você tentar comprar a ação a $10 e ela for negociada a $10,03, você já experimentou um deslize de 3 centavos.

O escorregamento também pode ocorrer quando há uma mudança repentina nas condições do mercado.

Por exemplo, se houver notícias que afetem o preço de uma ação, os preços de compra e venda podem se mover muito rapidamente. Se você tentar comprar ou vender a preços antigos, pode ocorrer o slippage.

Finalmente, o preço pode escorregar quando há baixa liquidez no mercado. Liquidez refere-se a como é fácil comprar ou vender um ativo sem afetar seu preço.

Quando há baixa liquidez, pode ser difícil encontrar alguém que queira negociar pelo preço desejado, e você pode ter que aceitar um preço mais baixo para executar sua negociação.

Como o slippage impacta as operações em day trade?

O slippage pode ter um impacto significativo nas operações de day trade, pois pode resultar em perdas se as negociações forem executadas a preços menos favoráveis do que o esperado.

Estratégias com alvos curtos são os principais impactados. Digamos que você está usando uma estratégia com alvo de 1 tick, ou seja, a menor variação do ativo, por exemplo, 1 centavo no caso da ação.

Nesse caso, qualquer derrapagem do preço irá deixar a sua operação no zero a zero, isso na melhor das hipóteses. Caso o slippage seja maior, você sairá no prejuízo.

Outro impacto pode ocorrer quando você deseja entrar em um momento de alta volatilidade, como na divulgação do payroll.

Nesses momentos os preços costumam se mover tão rápido que do momento do envio da ordem até ser aceita, pode ser que a entrada fique muito acima do que você esperava.

Outra coisa que pode ocorrer nesse momento é o preço tocar o seu stop e rapidamente voltar, dando a conhecida “violinada”.

Ainda outra forma que você é impactado pelo slippage é quando você quer comprar uma quantidade maior do que a oferta disponível no preço desejado.

Nesse caso, a sua ordem varrerá o book, ou seja, procurará a quantidade restante no próximo nível de preço até ser plenamente executada.

Embora não seja possível eliminar completamente o slippage, existe estratégias que podem ajudar a reduzir seu impacto. Confira a seguir.

Como evitar o slippage?

Como evitar o slippage

Opere ativos com alta liquidez

O primeiro passo para evitar o slippage é operar ativos que possuem alta liquidez. Isso porque, quanto maior a liquidez de um ativo, menor a diferença entre o preço de compra e o preço de venda (spread).

Assim, mesmo que haja uma pequena variação do preço do ativo no mercado, essa variação será absorvida pelo spread e não causará slippage.

Além disso, a alta liquidez também significa que haverá mais investidores dispostos a comprar ou vender o ativo em questão, o que reduz as chances de execução da ordem demorar muito tempo (outro fator que pode causar slippage).

Mas como verificar se um ativo é líquido o suficiente? Basta verificar se há uma grande diferença entre os preços de compra e venda (spread) oferecidos pelas corretoras. Quanto menor for esse spread, melhor.

Evite momentos de alta volatilidade

Outro fator que pode causar slippage é a alta volatilidade do mercado. O que ocorre em períodos de maior movimentação dos preços.

Diante da rápida e brusca movimentação, as ordens geralmente sofrem a derrapagem, ou o slippage. Por isso, é importante evitar esses momentos para diminuir as chances de sofrer com esse problema.

Uma maneira simples de fazer isso é analisando os gráficos dos ativos em que você pretende negociar e identificando os momentos em que houve grandes variações nos preços (de preferência usando um período maior para ter uma visão mais ampla do mercado).

Após identificar esses períodos, você poderá escolher operar apenas quando houver menor movimentação dos preços, pois isso reduz as chances de sofrer com slippage devido à volatilidade do mercado.

Fracione as ordens em lotes menores

Quanto maior o volume da sua ordem, maior a chance de fazer o preço seguir na sua direção e, consequentemente, pegar um preço maior.

Portanto, você pode fugir do slippage fracionando as suas ordens, ou seja em vez de lançar uma ordem com 200 contratos, lançar 10 ordens de 20.

E se você fizer isso colocando ordens levemente abaixo do ponto inicial, a tendência é que o seu preço médio fique até melhor que o seu objetivo inicial.

Utilize ordens limite

As ordens limitadas são executadas apenas quando o preço igual ou menor do que o desejado. Ao utilizar esse tipo de ordem, você praticamente elimina o slippage, isso porque, a ordem fica no book de ofertas. Ainda assim, em momentos de altíssima volatilidade, essa ordem pode ser pulada.

Reduza o número de operações

Outra forma de evitar o slippage é reduzindo o número de operações. Afinal, ao realizar menos operações você escolhe os momentos mais propícios e diminui as possiblidades de sofrer com o escorregamento do preço.

Utilize um robô trader

O robô trader traz muitas vantagens para o trader. Uma delas é a velocidade da execução, que é muito maior que a de nós, seres humanos. E quanto mais rápida a sua tomada de decisão, maior a chance de entrar no preço definido.

Além disso, o robô facilita o trabalho com ordens limite, stop, limita a quantidade de trades, pode medir a volatilidade do ativo, pode trabalhar com reentradas e saídas parciais.

Todas essas ações podem contribuir para minimizar os impactos do slippage.

Utilize uma VPS

Uma VPS (Virtual Private Server) oferece um ambiente isolado para que a plataforma execute os trades de forma consistente e sem interrupções. Isso evita problemas ligados à instabilidade da internet, energia elétrica e outros fatores externos que podem causar slippage.

Além disso, utilizar uma VPS garante o envio das ordens imediatamente, pois você pode selecionar o servidor mais próximo da Bolsa, reduzindo consideravelmente a latência.

Analise a possibilidade do RLP

O RLP (Recurso de Liquidação Prioritária) é uma opção oferecida por algumas corretoras para minimizar o risco de execução das ordens em pregões voláteis. Com esse recurso ativado, a corretora atua como contraparte.

Mas o que isso quer dizer? Significa que antes de sua ser enviada para a bolsa ela verifica se tem mais algum participante do mercado querendo entrar no mercado no seu nível de preço.

Assim, a corretora “casa” essas ordens e fica o spread da operação e possibilita reduzir consideravelmente o risco de slippage em períodos de grande volatilidade do mercado.

Utilize uma boa plataforma

Utilize uma plataforma confiável e com boa reputação. Isso evitará problemas ligados à execução das ordens.

As principais plataformas utilizadas pelos operadores costumam ter recursos avançados para garantir a transmissão das ordens em tempo real e sem erros.

Além disso, elas oferecem diversos tipos de gráficos e indicadores técnicos que podem auxiliar na tomada de decisões durante as operações day trade.

Como usar o slippage a seu favor

Apesar do slippage ser considerado uma coisa negativa, há maneiras de utilizá-lo em seu benefício.

Se você estiver negociando com uma grande quantidade de capital, sabe que muito volume pode movimentar o mercado.

Logo, para evitar o slippagge deve-se colocar as ordens de forma gradativa em preços mais baixo. Isso contribuirá para se posicionar a um preço melhor que o original.

Outra forma de usar a derrapagem a favor é garantir a entrada na operação. Alguns traders costumam usar ordens do tipo limite para evitar a derrapagem.

Mas, o problema é que muitas vezes o preço até chega no nível mas por falta de liquidez não executa a ordem e o trader deixa de aproveitar uma operação lucrativa.

Outra maneira de usar o slippage em seu benefício é para sair das operações.

Suponha que você está com uma ordem de stop loss posicionada do tipo limite e em virtude da volatilidade essa ordem é pulada. O preço pode continua caindo e a sua ordem continuará aberta, aumentando o prejuízo.

Ao usar ordens à mercado no stop loss, você garante a saída da operação. Mesmo sofrendo com a derrapagem, este tende a ser menor que o prejuízo causado por ter a ordem pulada.

É claro que estes são apenas dois exemplos de como você pode usar o escorregamento a seu favor. Pode haver outras oportunidades, dependendo de sua estratégia e objetivos.

O importante é estar ciente do potencial do slippage e de como ele pode impactar suas negociações – tanto positiva quanto negativamente.

Conclusão

O slippage pode ocorrer a favor ou contra você. Por isso, se você deseja diminuir o impacto em suas operações, siga as táticas apresentadas aqui, como escolher ativos líquidos e evitar momentos de alta volatilidade, por exemplo.

Além disso, você pode utilizar um robô trader e configurar os pontos de entradas e saídas, limitar operações, gerenciar stops e muito mais. Clique aqui e teste grátis o robô trader SDIN4 por 30 dias.

Carlos Eugênio

Fundador da Sociedade de Investidores. Investidor e Trader desde 2017 e Mestre em Engenharia de Produção (UFPE). Quer saber mais? Clique aqui.

Receba conteúdo exclusivo

Veja também…

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This